LaMBuzAr coM chOColAtE
a CAra um taNtO mARotA
de taNTo rIr, desPEncAr

PERdeR tEmPo com bobagem
coMEr só DO qUe gOSto
pRemiAndO o pALaDaR

SEm me iNComOdaR cOmIGo
prOcURar o oMbRo AmiGo
SOmeNtE PaRa aBRiGar

Se CHover, andAR na cHuVa
barQUinhOs sOlTos NA guIa
cOM elEs a nAVeGar

VoAR sEm mEDo do tOmBo
fAZer cARetAs da doR
a tEla em tIntAs BoRRar

Que o dIa sEJa umA pREce
NO sIlêNcIO da mORadA
coM Nada A mE iNComoDar

CanSAda no FIm do diA,
nO cadeRNo fAVorItO,
lINdo soNHo dESenhAr

DOrmiR SE tIVeR voNTadE
e SOnHar deSComPLiCAdo,
feiTo cRIanÇa a bRinCar!

Sampa, 22/09/2008

reginaLU
Publicado no Recanto das Letras em 22/09/2008
Código do texto: T1190637